NÃO TEM REMÉDIO

A amizade só é verdadeira quando podemos dizer ao amigo todos os defeitos dele. E também todas as qualidades nossas…

Esta ideia engraçada é atribuída a Millôr Fernandes e, se não for dele, tem tudo para ser, pois era um mestre em sarcasmos e ironias.

Dito isto, vou direto ao encontro entre dois amigos de infância que não se viam há muitos anos. Marcaram num restaurante de mesinhas na calçada — em Portugal seria “na esplanada” — e ali se puseram a conversar e saciar as mútuas curiosidades sobre a vida de um e do outro.

Estavam ambos na casa dos 60 anos. Jurandir era um tipo atlético, frequentador de academia, adepto da alimentação saudável, praticante de yoga e encontrava-se em ótima forma. O Souza tinha outro perfil: muitos quilos de excesso, avesso à atividade física, adepto do sofá, da cervejinha com salgadinhos, além de adorar doces.

— Quanto tempo não nos encontramos, Souza. Que prazer! Como a vida tem te tratado?

— Estou ótimo! Vamos beber alguma coisa enquanto conversamos. Que tal uma caipirinha e uma porção de batatas fritas?

Jurandir achou que não poderia deixar de acompanhar o amigo e pediram os dois drinks e o petisco.

— Mas me conta sobre a sua vida. Você está casado? — perguntou Jurandir.

— Deus me livre! Prezo muito a minha liberdade e estou bem assim. Faço o que quero, quando quero e levo uma vida leve e alegre. Enquanto a caipirinha não chega vou dar um pulinho no banheiro.

Souza levantou-se com alguma dificuldade devido ao excesso de peso. Jurandir observou que o amigo andava com certo sacrifício, balançando muito o corpo e se deslocando com lentidão.

Chegaram os drinks e logo a seguir o Souza.

Brindaram com o tradicional desejo de saúde. Souza sorveu de uma vez quase a metade do líquido e avançou na porção de batatas.

— Por falar em saúde, você está bem? — inquiriu o atleta Jurandir.

— Estou ótimo! — respondeu o amigo.

Em seguida enfiou a mão no bolso e sacou uma caixinha de remédios, dessas que contém divisões. Extraiu um comprimido de um dos compartimentos e ingeriu com o restante da caipirinha. Aproveitando o garçom, pediu outra, enquanto Jurandir ainda estava com o copo cheio.

— Que remédio é este, Souza?

— Nada. É só um comprimidinho para controlar o colesterol. Uma beleza, a gente pode comer o que quiser, como essas maravilhosas batatinhas fritas — disse ele.

— Sei…

— Pode comer de tudo, Jurandir. As taxas permanecem boas. A minha está excelente! Se o seu colesterol subir, me liga e te dou o nome. É só tomar um comprimidinho desses e já fica bem.

— Sim, sim. Mas a minha taxa também está boa. E você dorme bem, Souza?

— Rapaz, meu sono é ótimo. São 7 ou 8 horas de sono toda noite. Não tem erro.

— Que bom. Dormir bem é essencial para a saúde.

— Pois é. Toda noite eu tomo um remedinho que é tiro e queda. Só acordo no dia seguinte. Uma maravilha! E você, Jurandir?

— Sabe que quanto mais me exercito durante o dia, melhor é a noite de sono. Você já experimentou fazer uma caminhada regularmente? — tentou Jurandir.

— Já sim. Fiz por uma semana, mas vou te confessar: acho que fazer caminhada é um saco! É entediante e me sinto perdendo tempo.

— Mas ajuda a controlar o colesterol.

— Já faço isso com o comprimido, meu caro. Muito mais prático.

— É que a caminhada também melhora outras coisas. Até o humor.

— Humor? Não tenho este problema. Eu tomo um antidepressivo maravilhoso. Estou sempre bem.

Jurandir engoliu em seco, enquanto Souza terminava de devorar as batatinhas.

— Você gosta de linguicinha aperitivo, Jurandir?

— Pode pedir. Eu não como, mas fique à vontade.

— Não, não. Então que tal um camarão à milanesa?

— Pede, Souza. Pode pedir.

O garçom passava e recolheu o pedido do camarão e a terceira caipirinha para o Souza.

— Mas até agora você me falou que toma remédios para colesterol, para dormir e antidepressivo. Não acha que são muitos remédios, Souza?

— Não. São apenas esses e mais um para controlar o açúcar, um antiácido após as refeições e unzinho para gordura no fígado. Gasto uma grana na farmácia, mas minha saúde está em dia, graças à Deus. Ah, e tomo um pequenininho para a pressão: fica sempre em 12 por 8. Uma maravilha. Estou ótimo!

Jurandir tomou o último gole de sua bebida, olhou o relógio e se preparou para ir embora:

— Desculpe, Souza. Tenho um outro compromisso que não posso faltar. E já estou atrasado. Foi muito bom te ver, meu amigo!

— Ah, que pena. Já vai, mesmo?

— Sim, tenho que ir agora. Um abraço!

Jurandir vai saindo e o Souza arremata:

— Ô amigo. Você parece meio estressado. Se quiser eu sei de um calmantezinho que é excelente.

— Não, muito obrigado, Souza.

— Olha, quem avisa amigo é: cuida da sua saúde…

Antonio Carlos Sarmento

NOTA:

Caros Leitores,

Com muito prazer, após o recesso de fim de ano,  retomamos hoje a publicação das crônicas aos domingos.

Para aqueles que desejam obter o livro Crônicas e Agudas, lembro que basta fazer contato comigo pelo whatsapp (021) 9 9989-7239 ou pelo e-mail antoniocsarmento@gmail.com, pois para manter o preço do lançamento estou fazendo venda direta e não através de livrarias.

Abraços!

35 comentários em “NÃO TEM REMÉDIO”

  1. Duas coisas boas, a volta das crônicas de domingo e essa primeira que é uma alerta a todos nós que queremos viver uma vida saudável. É só fazer a escolha !
    Um feliz 2023 pra você Cacau e todos os seus leitores !

    Curtido por 1 pessoa

  2. Prezado Amigo Sarmento, Muito bom dia, Saudades de você e de suas crônicas . . . Que tenhamos um Nova Ano de Saúde, Alegrias e felizes Realizações, é o que espero. De fato, é muito bom comer e beber, de tudo, mas, tomar remédios significa que essas ações, em demasia, fazem mal. Atualmente, pareço com o Jurandir, quase diariamente são 10K de caminhada, em 90 minutos, não é marca de atleta, mas ajuda bastante. Recomendações à Sônia, ao Guilherme, à Tatiana, ao Jean e demais familiares.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Amigo JH,
      Você está um verdadeiro atleta.
      Parabéns e continue assim, pois com 10km de caminhada por dia terei a sua amizade por muitos e muitos anos.
      Manda um beijo para rainha Catarina e lembranças a toda a sua amada família!
      Grande abraço, meu fiel amigo e leitor!

      Curtir

  3. Querido amigo.
    Que bom o regresso de suas crônicas. Veio enriquecer o meu café dominical.
    Essa, foi uma aula de bom e mal viver… Fiquei com pena do Souza mas é a pura verdade. Fiquei curioso com comentários do Jurandir mas ficou bem assim… Ele saiu de mansinho….
    Obrigado amigo. Saudade. Bjs em todos.

    Curtido por 1 pessoa

  4. Que bom que o amigo voltou a escrever! As saudades de ler ja me incomodavam.
    Sarmento, em segredo, te confesso que, apesar de não tomar nenhum remedio desses de uso contínuo, me vejo mais como o personagem Souza… Sou preguiçoso pros movimentos do corpo, e tomo diariamente, ha anos, vitaminas, tipo Centrum, Saw Palmetto, e B12, pois como fiz bariátrica, tenho que repor essas vitaminas. Mas reconheço que estou na contra mão da lógica com este quesito, por isso proponho sempre um queijo e vinho para conversar sobre esse assunto… kkkkkk bom domingo e que Deus os abençoe.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Caro amigo Luigi,
      Eu também já estava saudoso da sua bem-vinda presença por aqui.
      E desde já aceito esta proposta de tomar um vinho acompanhado de um bom queijo!!! Quem sabe um dia teremos esta oportunidade…
      Uma ótima semana a você e sua família.
      Grande abraço!

      Curtir

  5. Que bom que você voltou!!! Estou muito mais pra Souza, mas dispenso o remédio para dormir. “ Vinhotril” é muito melhor!!!! Beijo grande e muita saudade de vocês.

    Curtido por 1 pessoa

  6. Há sempre duas formas possiveis de encarar qualquer assunto….e de certa forma, também de se ser optimista. Estes dois personagens são um bom exemplo disso!
    Bom regresso e um ano de 2023 cheio de sucessos!

    Curtido por 1 pessoa

  7. Seja bem vindo aos nossos domingos, voltarão a ser regados de arte e alegria.
    Acho que todos nós temos amigos dos dois times, a arte de viver é escutá-los com paciência. Se são adultos, foram opções conscientes, que fazer?
    Parabéns pela crônica, esperava ansiosa seu retorno.
    Como sempre, os assuntos que escolhe são interessantes, o de hoje retrata duas maneiras de encarar a vida antagônicos e ambos na ordem do dia…
    Um abraço grande, até o próximo domingo!

    Curtido por 1 pessoa

    1. Querida Helena,
      Seja também muito bem-vinda aqui neste espaço. Sua presença sempre me alegra e enriquece.
      Fico feliz que tenha apreciado a crônica.
      Desejo uma maravilhosa semana, na paz e harmonia.
      Receba o meu carinho e admiração!

      Curtir

  8. Meu amigo!
    Concordo com o Millôr na primeira parte – “ a amizade só é verdadeira quando podemos dizer ao amigo todos os defeitos dele”. Não sei se todas ele aguenta, com grande chance mesmo de perder o amigo .🤣
    Gostei muito da crônica mas encontrei um defeito. Como disse, vou mencionar e não perderei o amigo🤣
    Como Jurandir não disse que estava próximo a perder o amigo Souza pela descaso com a saúde, pode vir a perder o amigo e ganhar algum remorço. 🤣 Forte abraço!

    Curtido por 1 pessoa

    1. Caro amigo Rodolpho,
      Com certeza você não perderá este amigo aqui!
      Obrigado por comentar. Tenho certeza de que se você fosse o Jurandir, o Souza teria ouvido alguns bons conselhos.
      Um grande abraço, meu querido amigo e uma excelente semana!

      Curtir

  9. Que beleza meu irmão ter suas crônicas de volta colorindo nossos domingos!
    Bem vindo ao deleite literário!
    Quanto à medicalizaçao das emoções e querer resolver o descontrole com remédios traduz total falta de consciência do que é SAÚDE.
    Excelente alerta!

    Curtido por 1 pessoa

  10. Querido Antonio Carlos, que bom este retorno, já estávamos sentindo falta …me identifiquei com o Jurandir e, fazer academia para mim é zelar pela boa condição de vida saudável … dormir bem, caminhar, beber bastante água e ter bons amigos para rir e conversar…um forte abraço

    Curtir

  11. Essa crônica é maravilhosa para começar o ano.
    Talvez tenha alguém que no dia 31 de Dezembro de 2021, fez o mesmo que no dia 31 de Dezembro de 2022, pulou 7 ondas, comeu uva e guardou o caroço, usou a cueca pelo avesso, usou uma lingerie nova, se vestiu com a cor (seja qual for para dar sorte) e fez os pedidos para seus objetivos a serem alcançados até o dia 31 de Dezembro de 2023… como festa, acho até legal!
    Porém, com certeza, isso não vai fazer alcançar o que as pessoas desejam.
    No caso do Souza, ele está se matando e por conveniência e inconscientemente, acha que está bem.
    Tenho quase que certeza que ele cantou : “muito dinheiro no bolso, saúde para dar e vender. ” Como eu disse anteriormente, nada contra, porém, precisamos ACORDAR para a realidade… O que posso dizer é que amigos como o Souza, posso amar muito e sempre estarei à disposição e também à distância.

    Excelente crônica, começou o ano cumprindo seu objetivo que acredito ser trazer coisas boas para seus leitores.
    Beijo Cacau, meu escritor predileto.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Muitíssimo obrigado, Chico!
      Seus comentários sempre enriquecem o assunto.
      Fico contente que tenha gostado da crônica e feito suas reflexões.
      Como você mesmo diz: Vamos em Frente!!!
      Beijos e uma ótima semana!

      Curtir

  12. Caro amigo. Parabéns pela escolha da primeira crônica de 2023. Estou me esforçando para alcançar essa “vibe” de medicina do futuro onde o tripé básico são: alimentação saudável, exercícios físicos mínimos e atividade intelectual necessária (meditação, leitura, capacitação, teatro, cinema, shows, etc…). Abraços e sucesso sempre.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Caro amigo Guimo,
      Percebo que você está no caminho certo e se esmerando em cuidar da sua saúde da melhor forma.
      Desejo muito sucesso neste caminho para que eu possa desfrutar da sua amizade por longos anos!!!
      Obrigado por comentar e desejo uma maravilhosa semana!
      Grande abraço!

      Curtir

  13. Que bom ter esse jovem escritor de volta ao trabalho da literatura.
    É prazeroso ler as suas crônicas, obrigado!
    Desejo ao amigo e aos familiares as bênçãos do céu como inspiração.

    Oslúzio

    Curtido por 1 pessoa

  14. Meu primo,
    Prazer em em retomar a agradável interação com o querido cronista.
    Interessante sua abordagem sobre o (des) cuidado com a saúde.
    Gostaria de ilustrar com alguns remédios essenciais não só para a cura, mas também para a prevenção de doenças : oração, luz do sol, gratidão, frutas e legumes, perdão, caminhada, comida natural e muito amor para dar e receber .
    Tomando generosas doses desses remédios diariamente, estou certa de que seremos todos mais saudáveis e mais felizes.
    Despedindo com um adágio constante nas recomendações de papai: rir é o melhor remédio.
    Bora praticar!!
    Beijo

    Curtido por 1 pessoa

    1. Minha prima querida,
      Sua prescrição de remédios é perfeita. Com certeza trazem felicidade e saúde.
      O prazer de estar de volta é meu também!
      Obrigado pela gentileza de seu comentário.
      Uma maravilhosa semana e um grande beijo!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s